Tecnologia SAP Business One

(21) 3005-3028

iclass.comercial

Blog

Palestra da IClass no SINDRATAR RJ

A IClass esteve presente no SINDRATAR RJ (Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento do Ar do Estado do Rio de Janeiro.) onde acontece diversos cursos e workshops sempre visando capacitar e informar técnicos e gestores do segmento de refrigeração e ar condicionado.

Palestra da IClass no SINDRATAR RJ • IClass PMOC 360 1 Tecnologia SAP Business One

A IClass esteve presente no SINDRATAR RJ (Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento do Ar do Estado do Rio de Janeiro.)  onde acontece diversos cursos e workshops sempre visando capacitar e informar técnicos e gestores do segmento de refrigeração e ar condicionado.

O professor foi o Márcio Coelho do Nascimento que  realizou no SINDRTAR RJ nos dias 04 e 05 o curso com o tema :  PMOC – Plano de manutenção e operação e controle.

Os tópicos do conteúdo abordados foram: o histórico do PMOC,  PMOC de mecânico para mecânico, aspectos jurídicos e técnicos, apresentação do PMOC na prática e o preenchimento correto de acordo com a legislação.

Os objetivos foram explicar em uma linguagem profissional na abordagem do operador, mecânico, ajudante e até de engenheiros. Demonstrar que o PMOC é uma conquista do setor e que sua manutenção será feita pelo convencimento do cliente final e usuários dos sistemas de sua eficácia.

A IClass foi convidada para palestrar no SINDRATAR RJ

IClass no SINDRTAR RJ PMOC 1024x683 Tecnologia SAP Business One

Representada pelo CEO Marcos Barros, a temática abordada foi o módulo do PMOC digital, onde se pode falar sobre os benefícios de gerenciar os serviços do PMOC com um software online, confira a seguir as funcionalidades e módulos citados:

Impressão PMOC: Imprima automaticamente o relatório do PMOC, exigido pela Lei Nº 13.589, para enviar aos seus clientes. O relatório contém todo o plano de manutenção de acordo com o contrato estabelecido.

Recorrência de Serviços: Configure atendimentos recorrentes, associados às atividades dos planos de manutenções (PMOC) acordados com cada cliente. Configure a periodicidade com que as inspeções devem ser criadas (mensais, trimestrais, semestrais, anuais).

Módulo Mobile: Coleta de informações pelos técnicos, através do dispositivo mobile, como observações dos atendimentos, fotos e até assinatura do cliente.

Controle de Estoque: Controle o estoque gasto em campo pelas equipes, incluindo itens inventariados e materiais consumíveis que não retornam para a empresa.

Agendamento Inteligente: Realize o agendamento dos atendimentos de acordo com as posições geográficas dos técnicos e dos clientes. Além de ajudar a reduzir o tempo da retaguarda, o sistema possibilita otimização do tempo de ociosidade dos técnicos.

Relatórios e Indicadores: O sistema disponibiliza relatórios com indicadores de desempenho das equipes, com gráficos. Relatórios que ajudam os gestores a escolherem os técnicos para cada ordem de serviço, de acordo com o desempenho.

Saiba tudo que o IClass FS pode fazer pela sua empresa, baixe agora mesmo o nosso folder e revolucione sua operação de campo: http://bit.ly/Folder-PMOC 

Estudo de caso

IClass case de sucesso Alphaquip Tecnologia SAP Business One

Empresas com 27 anos de experiência, com clientes por todo Brasil

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Video IClass Software de ordem de servico online Tecnologia SAP Business One

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

Amplie a atuação do sistema SAP Business One
na área operacional dos seus clientes

O IClass One suporta a área de manutenção e pós-venda em conjunto com o sistema SAP Business One.

Esse artigo tem a intenção de mostrar todo o potencial de uso da solução. A ideia central é que o uso do SAP Business One seja ampliado. Atualmente, buscamos aprimorar os processos com a tecnologia e o uso do IClass One unifica os processos de campo, incluindo manutenções ou serviços em geral com as áreas financeiras, de contratos, compras e vendas.

Mostraremos 3 cenários distintos de empresas que usam ou vão começar a usar o SAP Business One, podendo agregar o IClass One na área operacional. Os cenários não são exclusivos de modo que muitos de nossos clientes agregam tecnologia em todos os cenários. A solução é flexível e adaptável a várias verticais do mercado.

Cenário 1: Integração do setor de vendas do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE portugues 26 scaled Tecnologia SAP Business One

Fluxo entre área de vendas e serviços no sistema SAP Business One

O setor comercial que realiza cotações ou orçamentos em pedidos através do módulo de vendas do SAP Business One consegue dar sequência ao fluxo de execução dos serviços vendidos até a execução da atividade em campo, gerida pelo módulo mobile do IClass One. As informações são trafegadas de forma contínua, de modo que a comunicação dos serviços aprovados e o escopo do que foi vendido são amplamente otimizados, atingindo melhores níveis de produtividade (número de serviços executados) e qualidade (escopo e padronização de atividades).

Rapidez no retorno das informações de campo para faturamento

As informações coletadas em campo que muitas vezes são necessárias para a realização do faturamento e recebimento do valor orçado são trafegadas para o SAP Business One, podendo reduzir drasticamente o tempo entre a execução do serviço pelo prestador e o recebimento do valor devido pelo cliente.

Cenário 2: Integração do setor de compras do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE portugues 27 scaled Tecnologia SAP Business One

Setor de compras mantém os processos no sistema SAP Business One

A área de compras pode continuar realizando o seu trabalho de forma transparente, através dos processos de cotação com os respectivos fornecedores, realizando os pagamentos de acordo com seu fluxo de caixa até a chegada do produto ou da matéria-prima que passará para o processo de produção. A partir do momento que um determinado produto serializado ou não passar para o setor operacional, é possível realizar a integração com o IClass One, dando visibilidade em disciplinas difíceis de serem administradas sem uma ferramenta focada nas funcionalidades operacionais em campo como o IClass One. 

Gestão do estoque externo no sistema SAP Business One

Com a ativação da funcionalidade, inicia-se a gestão dos estoques em trânsito que são aplicados ou retornados dos distintos clientes pelas equipes externas. O sistema realiza a baixa automática de tudo que foi usado, permitindo que a área operacional tenha um controle diferencial, que gera impactos em toda a cadeia de gestão de estoque da empresa, além de abrirmos visões de uso médio de materiais por atividade, dentre tantas outras novas visões.

Cenário 3: Integração do setor de contratos do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE portugues 28 scaled Tecnologia SAP Business One

Abrangência de múltiplos modelos de contrato no sistema SAP Business One

Empresas que executam atividades externas abrangem diversas formas de gestão dos contratos com seus clientes, dentre as quais podemos destacar: 

  • Contratos de serviços de manutenção recorrentes periódicos.
  • Contratos de manutenção em máquinas ou equipamentos considerando uptime
  • Contratos que consideram SLA para correções ou intervenções
  • Contratos envolvendo apenas manutenções preditivas através de medidores
  • Contratos de serviços sob demanda

Necessidade de transformação na área de Pós-vendas.

As empresas percebem de forma clara a transformação que o consumidor impõe no pós-venda de diversas verticais do mercado, onde a aproximação do cliente realizada pela área operacional ou de pós-venda é chave para fidelização e longevidade da relação com o seu consumidor. Não há outra forma de atingir tais expectativas sem a implantação de automações e tecnologia nos processos que envolvem as atividades executadas no setor de pós-venda. O cenário ainda torna-se mais desafiador quando observamos operações que terceirizam as atividades, aumentando ainda mais a necessidade de gestão focada na excelência e qualidade do atendimento.

Clique aqui e entenda ainda mais como nosso Addon
pode agregar valor em diversos cenários

Estudo de caso

IClass case de sucesso Alphaquip Tecnologia SAP Business One

Empresas com 27 anos de experiência, com clientes por todo Brasil

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Video IClass Software de ordem de servico online Tecnologia SAP Business One

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Folder PMOC DIGITAL IClass FS 1024x1024 Tecnologia SAP Business One

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Video IClass Software de ordem de servico online Tecnologia SAP Business One

A camada de integração entre IClass e SAP Business One amplia os processos com as áreas de campo através da tecnologia e automações que a solução agrega no dia a dia. 

Os serviços dos mais diversos tipos (instalações, corretivas, preventivas, preditivas, entregas, visitas) são geridos no IClass One de forma integrada ou até mesmo independente ao SAP.  

Clientes, estoque, serviços e equipamentos são atulizados de forma transparente, possibilitando o uso da tecnologia do IClass que inclui agendamento inteligente das atividades, roteirização, gestão do estoque em campo, geolocalização, QR Codes, inventários, dentre vários outras funcionalidades.

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 08 Tecnologia SAP Business One

Agendamento inteligente

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 03 Tecnologia SAP Business One

Roteirização

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 04 Tecnologia SAP Business One

Gestão do estoque em campo

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 07 Tecnologia SAP Business One

Geolocalização

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 10 Tecnologia SAP Business One

QR Codes

Pmoc Digital e Software de Ordem de Servico IClass FS 09 Tecnologia SAP Business One

Inventários

Do lado do IClass One, o usuário irá acessar as diversas funcionalidades
de automação da equipe de campo e todas as áreas envolvidas.

IClass ONE Funcionamento da Integracao 1024x675 Tecnologia SAP Business One

IClass One para áreas de Manutenção

Blog

SAP Business One e IClass One para áreas de manutenção

Vamos explorar a realidade das empresas que mantêm em suas estruturas áreas de manutenção, onde serviços de diversos tipos e complexidades precisam ser executados. Podemos citar três exemplos de empresas que vivem esse cenário:

1. Organizações, onde a execução da manutenção é a principal atividade.

2. Fabricantes que realizam a assistência técnica dos seus produtos em período de garantia ou executam serviços corretivos sob demanda inerentes ao ciclo de vida do produto ou equipamento. 

3. Indústrias que necessitam realizar manutenções no seu parque de máquinas associadas à produção. 

Cada seção ilustra um cenário garantidamente encontrado no dia a dia dessas organizações e exploramos os processos automatizados pelo IClass One em conjunto com o SAP Business One.

Planos de manutenção64 no IClass One, com registros dos serviços no SAP Business One

manutencao iclass one 02 02 1 IClass One para áreas de Manutenção

Planos de manutenção bem definidos e executados de acordo com o planejamento da engenharia da manutenção são cruciais para manter as máquinas em pleno funcionamento evitando as paradas não programadas medidas pelo indicador MTBF (indicador de tempo médio entre falhas). Essa disciplina se aplica aos cenários onde a empresa realiza a manutenção em equipamentos próprios ou oferta ao mercado contratos de manutenção através das suas áreas de pós-vendas (caso de fabricantes de produtos). O módulo de manutenção do IClass One agregado aos principais módulos do SAP Business One permite que seus usuários monitorem e configurem planos individualizados para cada tipo de equipamento e tecnologia, ampliando as possibilidades de remuneração ou eficiência na prestação do serviço de manutenção executado pelo seu corpo técnico, que necessita ser muitas vezes multi-disciplinar. O leque de oportunidades que se abre com essas funcionalidades está disponível para o ecossistema do SAP Business One agregando tecnologia de ponta para os nossos clientes.

Estoque em campo no IClass One, com pedidos de venda no SAP Business One

manutencao iclass one 03 1 e1670259217640 2048x767 IClass One para áreas de Manutenção

A demanda de peças para a execução da manutenção de equipamentos é reconhecidamente um desafio para definir o estoque das áreas de pós-vendas e assistência técnica. O catálogo pode ser muito extenso tornando inviável a compra com antecedência de grande parte da lista. Por outro lado, os contratos praticados no mercado exigem cada vez mais agilidade para finalizar os serviços corretivos demandados pelos clientes, que contém SLAs de tempo curtos, demandando agilidade para o encerramento das Ordens de Serviço de forma assertiva.  

E como esse cenário é modificado com o uso do SAP Business One na área de compras em conjunto com o uso do IClass One na área de manutenção e pós-vendas? 

1. Com o uso das duas soluções integradas, a troca de informações relacionadas a pedidos de compras, chamados de serviços e uso de peças ou transferência de estoque é imediata. 

2. As emissões de pedidos de vendas e faturas referentes aos serviços são automáticas, permitindo a gestão simples e detalhada do uso de peças por modelo de equipamento, contrato, ou cliente.

3. Com a visão do estoque online de todas a áreas, incluindo o estoque em campo é possível avaliar a viabilidade dos serviços de forma prática.

Registro das horas e deslocamentos dos técnicos no SAP Business One

manutencao iclass one 05 1 2048x706 IClass One para áreas de Manutenção

Ainda vemos muitas operações de clientes que utilizam o SAP Business One com dificuldades na obtenção de informações básicas oriundas de um serviço externo, necessárias para gerar faturas ou cobranças. Em grande parte dos contratos de manutenção, há uma cobrança que varia de acordo com alguns fatores, tais como: duração do serviço, tipo do serviço realizado, deslocamento do técnico. Essas informações devem ser complementadas com orçamentos específicos que variam de acordo com o cenário do cliente, e há um grande custo operacional do backoffice das empresas para organizar essa troca de informações.

Esse cenário é modificado radicalmente com o uso do SAP Business One na área de faturamento em conjunto com o uso do IClass One no setor de pós-vendas ou de assistência técnica:

1. As informações coletadas pelo colaborador em campo são transmitidas de forma automática e online para o SAP Business One. Os chamados de serviço são atualizados com todos os dados relativos ao uso de peças. 

2. Emissões de faturas se tornam simples, com comprovação digital do cenário encontrado pelo funcionário, além do registro dos serviços realizados e peças trocadas.

3. De forma ágil, o funcionário passa a executar a próxima atividade que pode ser acompanhada por toda a empresa de forma clara e gerencial.

Orçamentos decorrentes das manuteções preventivas

manutencao iclass one 6 2048x799 IClass One para áreas de Manutenção

Em manutenções preventivas de contratos que não contemplam  a execução de todos os tipos de serviço ou reposição de peças, é comum que a empresa mantenedora dos equipamentos identifique necessidades de execuções de serviços adicionais, como corretivas, ou intervenções específicas nas máquinas avaliadas. Nesse processo, se faz necessária a elaboração de um orçamento ou proposta comercial. Esse fluxo é moroso quando as áreas não automatizam seus processos com tecnologia. No IClass One é possível definir Workflows no encerramento da OS que alertam a área do backoffice de imediato para que os colaboradores tenham acesso às informações coletadas em campo, necessárias para elaborar sua proposta/orçamento para aprovação rápida do cliente final. 

Os orçamentos aprovados no SAP Business One, são transformados em pedidos de venda e podem ser sincronizados com o IClass One para que o serviço seja executado. A troca de informações entre os dois sistemas automatiza o retorno dos dados nos casos em que há faturamentos após a execução de serviço. O ganho operacional é muito significativo tornando o retorno do investimento (ROI) no Addon, quase imediato.

Retorno das informações automatizado para geração da margem de contratos no SAP Business One

manutencao iclass one 04 2048x728 IClass One para áreas de Manutenção

Para fechar o ciclo de benefícios obtidos nesses tipos de operações, as empresas de serviços necessitam obter a margem real por contrato de manutenção. O SAP Business One disponibiliza diversos mecanismos para expor os indicadores operacionais dos setores, entretanto, para determinadas operações, muitos dos custos são gerados fora do escritório e portanto necessitam ser alocados nos contratos ou nos serviços executados em cada um dos clientes. Podemos observar operações, onde as consolidações financeiras são centralizadas em um único setor de assistência técnica e dessa forma, contratos muito rentáveis são mascarados por outros deficitários. Com as duas ferramentas integradas, um nível superior de gestão é disponibilizado aos nossos clientes, sendo um diferencial competitivo no mercado de excelência e qualidade de execução de serviços em campo.

Estudo de caso

IClass case de sucesso Alphaquip IClass One para áreas de Manutenção

Empresas com 27 anos de experiência, com clientes por todo Brasil

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Video IClass Software de ordem de servico online IClass One para áreas de Manutenção

O IClass One é utilizado por diversos segmentos de mercado e indústrias.

Clique aqui e entenda ainda mais como nosso Addon
pode agregar valor em diversos cenários

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Atuação do SAP Business

Blog

Amplie a atuação do sistema SAP Business One na área operacional dos seus clientes​

O IClass One suporta as áreas de manutenção e pós-venda
em conjunto com o sistema SAP Business One.

Esse artigo tem a intenção de mostrar todo o potencial de uso do IClass One. A ideia central do software consiste na ampliação e integração do sistema SAP Business One com as áreas operacionais das empresas através da nossa solução. Atualmente, buscamos aprimorar os processos com a tecnologia, e o uso do IClass One unifica e aprimora as atividades executadas em campo. A troca de informações entre as áreas operacionais e os setores financeiros, de contratos, compras e vendas se torna ágil, online e transparente.

Detalharemos 3 cenários distintos de aplicação do IClass One em conjunto com o sistema SAP Business One, mostrando as áreas envolvidas nos processos ilustrados em cada exemplo. Os cenários não são exclusivos de modo que muitos de nossos clientes utilizam a solução em todos os cenários. Com isso, o IClass One se torna flexível e adaptável à várias verticais do mercado.

Cenário 1: Integração do setor de vendas do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE 02 34 2048x502 Atuação do SAP Business

Fluxo entre área de vendas e serviços no sistema SAP Business One

O setor comercial que realiza cotações ou orçamentos em pedidos através do módulo de vendas do SAP Business One consegue dar sequência ao fluxo de execução dos serviços vendidos até a execução da atividade em campo, gerida pelo módulo mobile do IClass One. As informações são trafegadas de forma contínua, de modo que a comunicação dos serviços aprovados e o escopo do que foi vendido são amplamente otimizados, atingindo melhores níveis de produtividade (número de serviços executados) e qualidade (escopo e padronização de atividades).

Rapidez no retorno das informações de campo para faturamento

As informações coletadas em campo que muitas vezes são necessárias para a realização do faturamento e recebimento do valor orçado são trafegadas para o SAP Business One, podendo reduzir drasticamente o tempo entre a execução do serviço pelo prestador e o recebimento do valor devido pelo cliente.

Cenário 2: Integração do setor de compras do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE 2021 35 1536x377 Atuação do SAP Business

Setor de compras mantém os processos no sistema SAP Business One

A área de compras pode continuar realizando o seu trabalho de forma transparente, através dos processos de cotação com os respectivos fornecedores, realizando os pagamentos de acordo com seu fluxo de caixa até a chegada do produto ou da matéria-prima que passará para o processo de produção. A partir do momento que um determinado produto serializado ou não passar para o setor operacional, é possível realizar a integração com o IClass One, dando visibilidade em disciplinas difíceis de serem administradas sem uma ferramenta focada nas funcionalidades operacionais em campo como o IClass One. 

Gestão do estoque externo no sistema SAP Business One

Com a ativação da funcionalidade, inicia-se a gestão dos estoques em trânsito que são aplicados ou retornados dos distintos clientes pelas equipes externas. O sistema realiza a baixa automática de tudo que foi usado, permitindo que a área operacional tenha um controle diferencial, otimizando toda a cadeia de gestão de estoque da empresa, além de expandir visões de uso médio de materiais por atividade e reduzir serviços improdutivos por falta de insumos, ferramentas ou equipamentos.

Cenário 3: Integração do setor de contratos do sistema SAP Business One

FLUXO ICLASS ONE 2021 36 1536x377 Atuação do SAP Business

Abrangência de múltiplos modelos de contrato no sistema SAP Business One

Empresas que executam atividades externas abrangem diversas formas de gestão dos contratos com seus clientes, dentre as quais podemos destacar: 

  • Contratos de serviços de manutenção recorrentes periódicos.
  • Contratos de manutenção em máquinas ou equipamentos considerando uptime
  • Contratos que consideram SLA para correções ou intervenções
  • Contratos envolvendo apenas manutenções preditivas através de medidores
  • Contratos de serviços sob demanda

Com o uso do IClass One, a área operacional consegue gerir os distintos formatos de prestação de serviço definidos nos contratos registrados e faturados no sistema SAP Business One. É possível gerir de forma simples diversos cenários impostos pelos clientes e pela área comercial.

Necessidade de transformação na área de Pós-vendas.

As empresas percebem de forma clara a transformação que o consumidor impõe no setor de pós-venda de diversas verticais do mercado, onde a aproximação do cliente realizada pela área operacional é chave para fidelização e longevidade da relação com o seu consumidor. Não há outra forma de atingir tais expectativas sem a implantação de automações e tecnologia nos processos que envolvem as atividades executadas no setor de pós-venda. O cenário ainda torna-se mais desafiador quando observamos operações que terceirizam as atividades, aumentando ainda mais a necessidade de gestão focada na excelência e qualidade do atendimento.

Estudo de caso

IClass case de sucesso Alphaquip Atuação do SAP Business

“Escolhemos o IClass One por ser uma ferramenta de fácil utilização para o departamento técnico (APP) e para o backoffice, integrada ao SAP Business One.”

Conheça com mais detalhes os processos e indústrias atendidas pelo IClass One

Faça o downaload do Folder contendo as informações dos principais módulos que compõe a solução da IClass integrada com o sistema SAP Business One

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Blog

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Embora existam muitos tipos diferentes de estratégias de manutenção por aí, a maioria das discussões sobre qual estratégia que você deve implementar se resume em comparar os prós e contras da manutenção reativa versus manutenção preventiva versus manutenção preditiva.
Você está interessado em fazer parte deste debate? A resposta nem sempre é tão óbvia.
Mas não se preocupe, você não está sozinho: mais de 87% das manutenções realizadas pelas empresas dos EUA é totalmente reativa. Isso não é bom, porque a manutenção reativa ocasiona 75% mais falhas e reduz a vida útil do equipamento em até 36%.
Os orçamentos ficam imprevisíveis e a gestão de ativos vira um pesadelo.

Escolhendo a melhor estratégia de um plano de manutenção preditiva e corretiva

1-Requisitos e custos do plano de manutenção preditiva e corretiva.

Obtenha um quadro claro do que cada estratégia oferece, e também os requisitos e custos de cada uma delas.

2- Defina e reveja suas necessidades

Quais os tipos de ativos que você possui.
Quais os custos para substituir um ativo.
Custo de paradas não programadas e planejadas.

3- Revise quais são os recursos disponíveis.

Requisitos de capacitação e treinamento das equipes de manutenção.
Tempo que você pode alocar para as fases de implementação e treinamento.

4 Escolha a estratégia adequada
O que você vai precisar para implementar. Considere a implementação de estratégias de manutenção diferentes em ativos diferentes.

Plano De Manutencao IClass FS 02 1024x513 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

O que é um Plano de Manutenção Preditiva?

A manutenção preditiva é uma estratégia de manutenção proativa que tenta prever quando uma peça do equipamento pode falhar para que o trabalho de manutenção possa ser executado um pouco antes que isso aconteça.
Essas previsões são baseadas na condição do equipamento, que é avaliada baseada em dados coletados por meio do uso de vários sensores e técnicas de monitoramento de condição.

Plano De Manutencao IClass FS 12 1024x327 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

O objetivo é economizar e reduzir custos para que a sua empresa mantenha o foco no crescimento, e não desperdice recursos em erros que podem ser previstos.

Como qualquer outra estratégia de manutenção pró-ativa, a manutenção preditiva visa:

• Minimizar o número de quebras inesperadas.
• Maximizar o tempo de atividade do ativo, o que melhora a confiabilidade do ativo.
• Reduzir custos operacionais otimizando o tempo que você gasta no trabalho de manutenção. Em outras palavras: fazer a manutenção apenas quando necessário, eliminando praticamente qualquer chance de você perder tempo fazendo manutenção excessiva.
• Melhorar seus resultados, reduzindo os custos de manutenção de longo prazo e maximizando as horas de produção.

Estabelecendo um plano de manutenção preditiva em cinco etapas

Etapa # 1 – Identificar ativos críticos
Comece identificando os equipamentos e sistemas fundamentais que serem incluídos no programa de manutenção. Ativos com altos custos de reparo/substituição, ou que são críticos para a produção, costumam ser os melhores candidatos para um programa de Programa de Manutenção Preditiva.

Etapa #2 – Criar e implantar um banco de dados
Para que o programa de manutenção preditiva seja bem-sucedido, outro fator a considerar é a presença de informações suficientes que podem oferecer insights sobre o comportamento da máquina.
Os dados históricos de cada equipamento podem estar disponíveis a partir de várias fontes: planilhas impressas, dados de softwares administrativos ou contábeis em outros departamentos, registros de manutenção e gráficos etc.

Etapa #3 – Analisar e estabelecer modos de falha
Sua empresa precisará realizar uma análise nos ativos críticos identificados anteriormente para estabelecer seus modos de falha. Na gestão de ativos temos várias metodologias baseadas em normas e procedimentos. O métodos podem ser baseados em diversos critérios: MTBF (Mean Time Between Failure), MTTR (Mean Time to Repair), Árvore de Falhas, Árvore de Eventos, Diagrama de Blocos de Confiabilidade etc.

Etapa #4 – Faça previsões de falha
Com os ativos e modos de falha mais críticos identificados, a próxima etapa é projetar a abordagem de modelagem certa que formará a base para as previsões de falha.
O resultado final desta fase é entregar um sistema automatizado que vai monitorar as condições operacionais por meio de sensores instalados; entender e prever padrões criados por anomalias de dados; e criar alertas quando acontecerem desvios dos limites estabelecidos.

Etapa #5 – Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
É aqui que a modelagem preditiva é testada e validada pela implantação da tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.
Caso o processo esteja sendo executado corretamente, haverá melhorias significativas nas operações da empresa, embora os impactos perceptíveis possam levar alguns meses para serem percebidos. Vai depender do tamanho e da complexidade da sua organização.

Identificar ativos críticos

Ativos com altos custos de reparo/substituição e fundamentais para a produção são melhores candidatos.

Criar e implantar um banco de dados

Os dados históricos de cada ativo podem estar disponíveis a partir de várias fontes.

Analisar e estabelecer modos de falha

Escolha a melhor metodologia para cada equipamento baseado na metodologia da sua gestão de ativo.

Faça previsões de falha

Entregue um sistema automatizado com modelo de monitoramento de falhas.

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
Valide implantando a tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.

plano de manutencao 6 01 01 1024x728 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva
O que é um plano de manutenção preventiva

Uma pergunta comum é como diferenciar a manutenção preventiva da preditiva. 

A manutenção preventiva tem como conceito básico prevenir problemas com ações programadas para as equipes de manutenção com os objetivos de evitar paradas e aumentar a vida útil dos equipamentos

Como as ações são programadas?

Através de procedimentos indicados pelos fabricantes dos equipamentos e baseados nos históricos internos quando a empresa já opera com ativos dessa categoria há algum tempo.

Essa é uma manutenção programada, ou seja, ela é realizada seguindo um cronograma e acontece independentemente de danos reais causados por quebras ou paradas.

Alguns exemplos de manutenção preventiva são: lubrificações periódicas; revisões sistemáticas do equipamento; alterações ou troca de peças; planos de calibração e de aferição de instrumentos.

Perguntas comuns durante a elaboração de um plano de manutenção preventiva

Quanto eu vou reduzir de impactos das falhas de acordo com meu plano?

É possível detectar com antecedência, e diminuir falhas funcionais com as ações preventivas que eu defini em meu plano?

Minhas operações terão menos falhas potenciais e funcionais com um plano de manutenção preventiva?

A manutenção preventiva pode ser dividida em duas categorias

Preventiva sistemática
Realizada periodicamente de acordo com dados e histórico

Preventiva condicional
Realizada quando há uma queda na eficiência do equipamento.

Comparação entre os três principais tipos de manutenção

A manutenção preditiva é a melhor estratégia na teoria, mas isso não significa que seja a melhor opção para todas as organizações ou ativos.
Cada estratégia tem suas vantagens e desvantagens, então decidimos comparar as três principais estratégias: manutenção preditiva, manutenção preventiva e manutenção corretiva.

Dividimos em 3 seções principais:

1 – Prós e contras e cada plano de manutenção.
2 – Gráficos de comparação (custo e dificuldade de implementação, Potencial de Retorno de Investimento.)
3 – Como escolher a estratégia certa.

Esperamos que essa comparação forneça uma introdução prática a este tópico e sirva como um bom ponto de partida para decidir quais tipos de manutenção você deseja implementar em sua empresa.

Manutenção reativa

A manutenção reativa descreve uma estratégia de manutenção em que o trabalho de manutenção somente é executado após a ocorrência de uma falha, ou o ativo ficar indisponível.

Prós
  • Muito simples de entender e usar.
    Requer esforço mínimo para implementar e executar.
  • Pode ser usada sem a implementação de sensores ou pacotes de software.
Contras
  • Alta possibilidade de paradas não programadas.
    Muitas vezes envolve muitas horas extras de trabalho.
    Pode resultar em um ambiente de trabalho inseguro.
    Quebras inesperadas reduzem a vida útil do ativo.
  • A falta de rastreamento fornece pouco ou nenhum insight sobre sua operação de manutenção.
Manutenção preventiva

Prós

  • Minimiza a ocorrência de tempo de inatividade não programada e maximiza o tempo de atividade do ativo.
  • Oferece uma visão geral em tempo real da condição atual de seus ativos.
  • Garante interrupções mínimas de produtividade, pois algumas atividades de manutenção preditiva podem ser realizadas no ativo em execução.
  • Otimiza o tempo que você gasta no trabalho de manutenção.
  • Otimiza o uso de peças sobressalentes.
  • Melhora a confiabilidade do ativo.

Contras

  • Requer equipamento de monitoramento de condição e software para implementar e executar.
  • Você precisa de um conjunto especializado de habilidades para compreender e analisar os dados de monitoramento de condição.
  • Custos iniciais elevados.
  • Pode demorar um pouco para ser configurada e implementada dependendo do tamanho da sua empresa.
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Custo e dificuldade de implementação

A manutenção reativa é barata, mas implica em riscos de tempos de inatividade dispendiosos.
A implementação da manutenção preditiva costuma ser cara porque envolve a compra de equipamentos de sensores e software analítico.

Plano De Manutencao IClass FS 13 1024x542 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Potencial de retorno sobre o investimento (ROI)

A manutenção reativa pode custar caro no longo prazo.
Vários estudos estimam que a manutenção preventiva é 10% a 30% mais econômica que a manutenção reativa
A mesma pesquisa mostra que a manutenção preditiva é pelo menos 10% mais econômica do que a manutenção preventiva.

Plano De Manutencao IClass FS 14 1024x507 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Manutenção Detectiva

É um tipo de manutenção que utiliza aparelhos especializados, o princípio da manutenção detectiva está baseado em identificar ocorrências que não foram encontradas durante a operação.

É uma metodologia incorporada em sistemas de controle, comando e proteção. Os procedimentos estão vinculados a um calendário com períodos estipulados para corrigir falhas ocultas.


Manutenção Produtiva Total (TPM)

Esse tipo de manutenção é conhecido como TPM por conta do seu nome em inglês, Total Productive Maintenance.

O sistema foi desenvolvido no Japão com o objetivo de eliminar perdas, reduzir paradas, diminuir custos em empresas com processos contínuos e garantir a qualidade.

O TPM enfatiza a manutenção proativa e preventiva para maximizar a eficiência operacional do equipamento. É difícil distinguir entre as funções das equipes de produção e manutenção, há um forte estímulo da gerência da empresa para capacitação dos operadores em ajudar a manter seus equipamentos.

A eficiência em manutenção não é papel apenas de um time em específico. A cultura das empresas que praticam a Manutenção Produtiva Total é que todos devem contribuir para que os ativos e equipamentos estejam funcionando sempre da melhor maneira.

Manutenção prescritiva é a evolução da manutenção preditiva

Em essência, a manutenção prescritiva não só informa quando algo precisa ser consertado, mas também sugere alguns cenários de como você pode lidar com o problema previsto.

Plano de manutencao IClass FS 07 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

REATIVA

Conserte quando quebrar!

Plano de manutencao IClass FS 06 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

PREVENTIVA

Manutenção programada em intervalos
regulares para que o ativo não quebre.

Plano de manutencao IClass FS 08 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

PREDITIVA

Preveja exatamente quando o ativo vai
quebrar, faça a manutenção de acordo.

Plano de manutencao IClass FS 09 1 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

PRESCRITIVA

Deixe que as máquinas contribuam na
decisão de como evitar falhas de previsão.

A aplicabilidade da manutenção prescritiva está ligada aos avanços da Inteligência Artificial e do aprendizado de máquina. Também está alinhada com os princípios da Indústria 4.0, termo que surgiu em 2012 em um documento com sugestões para o governo alemão elaborado por um grupo de trabalho liderado por Siegfried Dais e Henning Kagermann.
Segundo os autores, seis princípios caracterizam o projeto de manutenção prescritiva. São os seguintes:

1- Tempo real
2- Virtualização
3- Descentralização
4- Orientação a serviços
5- Modularidade
6- Interoperabilidade

A tendência é que provavelmente não vamos esperar muito até que a manutenção prescritiva venha a se tornar the next big thing no setor de manutenção.

 

Como o IClass FS pode auxiliar você na sua estratégia de manutenção

plano de manutencao 5 01 01 min 6 1024x850 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Tudo o que seu plano de manutenção precisa

Veja os benefícios que a sua empresa pode obter quando integra o IClass FS.

plano de manutencao 3 15 1024x539 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Redução de custos com manutenções

Menos custos operacionais em função da execução dos serviços preventivos de forma adequada. Manutenções registradas com custos previstos e realizados, dedique mais tempo aos indicadores setoriais de custos.

plano de manutencao 5 01 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Processos padronizados

Gestão simples através de um computador ou smartphone. Planilhas não entregam o que sua empresa demanda no século XXI. É como usar um ábaco para controlar investimentos em bolsa de valores.

plano de manutencao 01 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Abra chamados nas solicitações de serviço de manutenção preditiva

No IClass FS  tudo está integrado. Um colaborador abre um chamado para a equipe de manutenção e pode acompanhar com transparência e qualidade o processo de manutenção. No término do processo podem ser feitas avaliações.

plano de manutencao 11 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Manutenções preventivas com tarefas recorrentes

Entre com as manutenções preventivas recorrentes do seu plano de manutenção. Depois elas poderão ser distribuídas e programadas pelos gestores. Coloque seu plano em ação rapidamente.

plano de manutencao 2 01 Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Acompanhamento dos principais indicadores de manutenção

O que você quer acompanhar? Disponibilidade, Confiabilidade, MTBF (Tempo Médio Entre Falhas), MTTR (Tempo Médio Para Reparo), Backlog de ordens de serviço, RAV (Valor de Reposição do Ativo), Custo Total de Equipamentos e Custo Total de Manutenção. Agende uma demonstração e saiba mais.

Acelere o crescimento da sua empresa e ganhe competitividade no seu mercado.

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Manutenção Preditiva

Blog

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Embora existam muitos tipos diferentes de estratégias de manutenção por aí, a maioria das discussões sobre qual estratégia que você deve implementar se resume em comparar os prós e contras da manutenção reativa versus manutenção preventiva versus manutenção preditiva.
Você está interessado em fazer parte deste debate? A resposta nem sempre é tão óbvia.
Mas não se preocupe, você não está sozinho: mais de 87% das manutenções realizadas pelas empresas dos EUA é totalmente reativa. Isso não é bom, porque a manutenção reativa ocasiona 75% mais falhas e reduz a vida útil do equipamento em até 36%.
Os orçamentos ficam imprevisíveis e a gestão de ativos vira um pesadelo.

Escolhendo a melhor estratégia de um plano de manutenção preditiva e corretiva

1-Requisitos e custos do plano de manutenção preditiva e corretiva.

Obtenha um quadro claro do que cada estratégia oferece, e também os requisitos e custos de cada uma delas.

2- Defina e reveja suas necessidades

Quais os tipos de ativos que você possui.
Quais os custos para substituir um ativo.
Custo de paradas não programadas e planejadas.

3- Revise quais são os recursos disponíveis.

Requisitos de capacitação e treinamento das equipes de manutenção.
Tempo que você pode alocar para as fases de implementação e treinamento.

4 Escolha a estratégia adequada
O que você vai precisar para implementar. Considere a implementação de estratégias de manutenção diferentes em ativos diferentes.

Plano De Manutencao IClass FS 02 1024x513 Manutenção Preditiva

O que é um Plano de Manutenção Preditiva?

A manutenção preditiva é uma estratégia de manutenção proativa que tenta prever quando uma peça do equipamento pode falhar para que o trabalho de manutenção possa ser executado um pouco antes que isso aconteça.
Essas previsões são baseadas na condição do equipamento, que é avaliada baseada em dados coletados por meio do uso de vários sensores e técnicas de monitoramento de condição.

Plano De Manutencao IClass FS 12 1024x327 Manutenção Preditiva

O objetivo é economizar e reduzir custos para que a sua empresa mantenha o foco no crescimento, e não desperdice recursos em erros que podem ser previstos.

Como qualquer outra estratégia de manutenção pró-ativa, a manutenção preditiva visa:

• Minimizar o número de quebras inesperadas.
• Maximizar o tempo de atividade do ativo, o que melhora a confiabilidade do ativo.
• Reduzir custos operacionais otimizando o tempo que você gasta no trabalho de manutenção. Em outras palavras: fazer a manutenção apenas quando necessário, eliminando praticamente qualquer chance de você perder tempo fazendo manutenção excessiva.
• Melhorar seus resultados, reduzindo os custos de manutenção de longo prazo e maximizando as horas de produção.

Estabelecendo um plano de manutenção preditiva em cinco etapas

Etapa # 1 – Identificar ativos críticos
Comece identificando os equipamentos e sistemas fundamentais que serem incluídos no programa de manutenção. Ativos com altos custos de reparo/substituição, ou que são críticos para a produção, costumam ser os melhores candidatos para um programa de Programa de Manutenção Preditiva.

Etapa #2 – Criar e implantar um banco de dados
Para que o programa de manutenção preditiva seja bem-sucedido, outro fator a considerar é a presença de informações suficientes que podem oferecer insights sobre o comportamento da máquina.
Os dados históricos de cada equipamento podem estar disponíveis a partir de várias fontes: planilhas impressas, dados de softwares administrativos ou contábeis em outros departamentos, registros de manutenção e gráficos etc.

Etapa #3 – Analisar e estabelecer modos de falha
Sua empresa precisará realizar uma análise nos ativos críticos identificados anteriormente para estabelecer seus modos de falha. Na gestão de ativos temos várias metodologias baseadas em normas e procedimentos. O métodos podem ser baseados em diversos critérios: MTBF (Mean Time Between Failure), MTTR (Mean Time to Repair), Árvore de Falhas, Árvore de Eventos, Diagrama de Blocos de Confiabilidade etc.

Etapa #4 – Faça previsões de falha
Com os ativos e modos de falha mais críticos identificados, a próxima etapa é projetar a abordagem de modelagem certa que formará a base para as previsões de falha.
O resultado final desta fase é entregar um sistema automatizado que vai monitorar as condições operacionais por meio de sensores instalados; entender e prever padrões criados por anomalias de dados; e criar alertas quando acontecerem desvios dos limites estabelecidos.

Etapa #5 – Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
É aqui que a modelagem preditiva é testada e validada pela implantação da tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.
Caso o processo esteja sendo executado corretamente, haverá melhorias significativas nas operações da empresa, embora os impactos perceptíveis possam levar alguns meses para serem percebidos. Vai depender do tamanho e da complexidade da sua organização.

Identificar ativos críticos

Ativos com altos custos de reparo/substituição e fundamentais para a produção são melhores candidatos.

Criar e implantar um banco de dados

Os dados históricos de cada ativo podem estar disponíveis a partir de várias fontes.

Analisar e estabelecer modos de falha

Escolha a melhor metodologia para cada equipamento baseado na metodologia da sua gestão de ativo.

Faça previsões de falha

Entregue um sistema automatizado com modelo de monitoramento de falhas.

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
Valide implantando a tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.

plano de manutencao 6 01 01 1024x728 Manutenção Preditiva
O que é um plano de manutenção preventiva

Uma pergunta comum é como diferenciar a manutenção preventiva da preditiva. 

A manutenção preventiva tem como conceito básico prevenir problemas com ações programadas para as equipes de manutenção com os objetivos de evitar paradas e aumentar a vida útil dos equipamentos

Como as ações são programadas?

Através de procedimentos indicados pelos fabricantes dos equipamentos e baseados nos históricos internos quando a empresa já opera com ativos dessa categoria há algum tempo.

Essa é uma manutenção programada, ou seja, ela é realizada seguindo um cronograma e acontece independentemente de danos reais causados por quebras ou paradas.

Alguns exemplos de manutenção preventiva são: lubrificações periódicas; revisões sistemáticas do equipamento; alterações ou troca de peças; planos de calibração e de aferição de instrumentos.

Perguntas comuns durante a elaboração de um plano de manutenção preventiva

Quanto eu vou reduzir de impactos das falhas de acordo com meu plano?

É possível detectar com antecedência, e diminuir falhas funcionais com as ações preventivas que eu defini em meu plano?

Minhas operações terão menos falhas potenciais e funcionais com um plano de manutenção preventiva?

A manutenção preventiva pode ser dividida em duas categorias

Preventiva sistemática
Realizada periodicamente de acordo com dados e histórico

Preventiva condicional
Realizada quando há uma queda na eficiência do equipamento.

Comparação entre os três principais tipos de manutenção

A manutenção preditiva é a melhor estratégia na teoria, mas isso não significa que seja a melhor opção para todas as organizações ou ativos.
Cada estratégia tem suas vantagens e desvantagens, então decidimos comparar as três principais estratégias: manutenção preditiva, manutenção preventiva e manutenção corretiva.

Dividimos em 3 seções principais:

1 – Prós e contras e cada plano de manutenção.
2 – Gráficos de comparação (custo e dificuldade de implementação, Potencial de Retorno de Investimento.)
3 – Como escolher a estratégia certa.

Esperamos que essa comparação forneça uma introdução prática a este tópico e sirva como um bom ponto de partida para decidir quais tipos de manutenção você deseja implementar em sua empresa.

Manutenção reativa
A manutenção reativa descreve uma estratégia de manutenção em que o trabalho de manutenção somente é executado após a ocorrência de uma falha, ou o ativo ficar indisponível.

Prós
  • Muito simples de entender e usar.
    Requer esforço mínimo para implementar e executar.
  • Pode ser usada sem a implementação de sensores ou pacotes de software.
Contras
  • Alta possibilidade de paradas não programadas.
    Muitas vezes envolve muitas horas extras de trabalho.
    Pode resultar em um ambiente de trabalho inseguro.
    Quebras inesperadas reduzem a vida útil do ativo.
  • A falta de rastreamento fornece pouco ou nenhum insight sobre sua operação de manutenção.
Manutenção preventiva

Prós

  • Minimiza a ocorrência de tempo de inatividade não programada e maximiza o tempo de atividade do ativo.
  • Oferece uma visão geral em tempo real da condição atual de seus ativos.
  • Garante interrupções mínimas de produtividade, pois algumas atividades de manutenção preditiva podem ser realizadas no ativo em execução.
  • Otimiza o tempo que você gasta no trabalho de manutenção.
  • Otimiza o uso de peças sobressalentes.
  • Melhora a confiabilidade do ativo.

Contras

  • Requer equipamento de monitoramento de condição e software para implementar e executar.
  • Você precisa de um conjunto especializado de habilidades para compreender e analisar os dados de monitoramento de condição.
  • Custos iniciais elevados.
  • Pode demorar um pouco para ser configurada e implementada dependendo do tamanho da sua empresa.
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Custo e dificuldade de implementação

A manutenção reativa é barata, mas implica em riscos de tempos de inatividade dispendiosos.
A implementação da manutenção preditiva costuma ser cara porque envolve a compra de equipamentos de sensores e software analítico.

Plano De Manutencao IClass FS 13 1024x542 Manutenção Preditiva

Potencial de retorno sobre o investimento (ROI)

A manutenção reativa pode custar caro no longo prazo.
Vários estudos estimam que a manutenção preventiva é 10% a 30% mais econômica que a manutenção reativa
A mesma pesquisa mostra que a manutenção preditiva é pelo menos 10% mais econômica do que a manutenção preventiva.

Plano De Manutencao IClass FS 14 1024x507 Manutenção Preditiva
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Manutenção Detectiva

É um tipo de manutenção que utiliza aparelhos especializados, o princípio da manutenção detectiva está baseado em identificar ocorrências que não foram encontradas durante a operação.

É uma metodologia incorporada em sistemas de controle, comando e proteção. Os procedimentos estão vinculados a um calendário com períodos estipulados para corrigir falhas ocultas.


Manutenção Produtiva Total (TPM)

Esse tipo de manutenção é conhecido como TPM por conta do seu nome em inglês, Total Productive Maintenance.

O sistema foi desenvolvido no Japão com o objetivo de eliminar perdas, reduzir paradas, diminuir custos em empresas com processos contínuos e garantir a qualidade.

O TPM enfatiza a manutenção proativa e preventiva para maximizar a eficiência operacional do equipamento. É difícil distinguir entre as funções das equipes de produção e manutenção, há um forte estímulo da gerência da empresa para capacitação dos operadores em ajudar a manter seus equipamentos.

A eficiência em manutenção não é papel apenas de um time em específico. A cultura das empresas que praticam a Manutenção Produtiva Total é que todos devem contribuir para que os ativos e equipamentos estejam funcionando sempre da melhor maneira.

Manutenção prescritiva é a evolução da manutenção preditiva

Em essência, a manutenção prescritiva não só informa quando algo precisa ser consertado, mas também sugere alguns cenários de como você pode lidar com o problema previsto.

Plano de manutencao IClass FS 07 Manutenção Preditiva

REATIVA

Conserte quando quebrar!

Plano de manutencao IClass FS 06 Manutenção Preditiva

PREVENTIVA

Manutenção programada em intervalos
regulares para que o ativo não quebre.

Plano de manutencao IClass FS 08 Manutenção Preditiva

PREDITIVA

Preveja exatamente quando o ativo vai
quebrar, faça a manutenção de acordo.

Plano de manutencao IClass FS 09 1 Manutenção Preditiva

PRESCRITIVA

Deixe que as máquinas contribuam na
decisão de como evitar falhas de previsão.

A aplicabilidade da manutenção prescritiva está ligada aos avanços da Inteligência Artificial e do aprendizado de máquina. Também está alinhada com os princípios da Indústria 4.0, termo que surgiu em 2012 em um documento com sugestões para o governo alemão elaborado por um grupo de trabalho liderado por Siegfried Dais e Henning Kagermann.
Segundo os autores, seis princípios caracterizam o projeto de manutenção prescritiva. São os seguintes:

1- Tempo real
2- Virtualização
3- Descentralização
4- Orientação a serviços
5- Modularidade
6- Interoperabilidade

A tendência é que provavelmente não vamos esperar muito até que a manutenção prescritiva venha a se tornar the next big thing no setor de manutenção.

 

Como o IClass FS pode auxiliar você na sua estratégia de manutenção

plano de manutencao 5 01 01 min 6 1024x850 Manutenção Preditiva

Tudo o que seu plano de manutenção precisa

Veja os benefícios que a sua empresa pode obter quando integra o IClass FS.

plano de manutencao 3 15 1024x539 Manutenção Preditiva

Redução de custos com manutenções

Menos custos operacionais em função da execução dos serviços preventivos de forma adequada. Manutenções registradas com custos previstos e realizados, dedique mais tempo aos indicadores setoriais de custos.

plano de manutencao 5 01 Manutenção Preditiva

Processos padronizados

Gestão simples através de um computador ou smartphone. Planilhas não entregam o que sua empresa demanda no século XXI. É como usar um ábaco para controlar investimentos em bolsa de valores.

plano de manutencao 01 Manutenção Preditiva

Abra chamados nas solicitações de serviço de manutenção preditiva

No IClass FS  tudo está integrado. Um colaborador abre um chamado para a equipe de manutenção e pode acompanhar com transparência e qualidade o processo de manutenção. No término do processo podem ser feitas avaliações.

plano de manutencao 11 Manutenção Preditiva

Manutenções preventivas com tarefas recorrentes

Entre com as manutenções preventivas recorrentes do seu plano de manutenção. Depois elas poderão ser distribuídas e programadas pelos gestores. Coloque seu plano em ação rapidamente.

plano de manutencao 2 01 Manutenção Preditiva

Acompanhamento dos principais indicadores de manutenção

O que você quer acompanhar? Disponibilidade, Confiabilidade, MTBF (Tempo Médio Entre Falhas), MTTR (Tempo Médio Para Reparo), Backlog de ordens de serviço, RAV (Valor de Reposição do Ativo), Custo Total de Equipamentos e Custo Total de Manutenção. Agende uma demonstração e saiba mais.

Acelere o crescimento da sua empresa e ganhe competitividade no seu mercado.

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Manutenção Corretiva

Blog

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva​

Manutenção Preditiva, Preventiva e Corretiva

Embora existam muitos tipos diferentes de estratégias de manutenção por aí, a maioria das discussões sobre qual estratégia que você deve implementar se resume em comparar os prós e contras da manutenção reativa versus manutenção preventiva versus manutenção preditiva.
Você está interessado em fazer parte deste debate? A resposta nem sempre é tão óbvia.
Mas não se preocupe, você não está sozinho: mais de 87% das manutenções realizadas pelas empresas dos EUA é totalmente reativa. Isso não é bom, porque a manutenção reativa ocasiona 75% mais falhas e reduz a vida útil do equipamento em até 36%.
Os orçamentos ficam imprevisíveis e a gestão de ativos vira um pesadelo.

Escolhendo a melhor estratégia de um plano de manutenção preditiva e corretiva

1-Requisitos e custos do plano de manutenção preditiva e corretiva.

Obtenha um quadro claro do que cada estratégia oferece, e também os requisitos e custos de cada uma delas.

2- Defina e reveja suas necessidades

Quais os tipos de ativos que você possui.
Quais os custos para substituir um ativo.
Custo de paradas não programadas e planejadas.

3- Revise quais são os recursos disponíveis.

Requisitos de capacitação e treinamento das equipes de manutenção.
Tempo que você pode alocar para as fases de implementação e treinamento.

4 Escolha a estratégia adequada
O que você vai precisar para implementar. Considere a implementação de estratégias de manutenção diferentes em ativos diferentes.

Plano De Manutencao IClass FS 02 1024x513 Manutenção Corretiva

O que é um Plano de Manutenção Preditiva?

A manutenção preditiva é uma estratégia de manutenção proativa que tenta prever quando uma peça do equipamento pode falhar para que o trabalho de manutenção possa ser executado um pouco antes que isso aconteça.
Essas previsões são baseadas na condição do equipamento, que é avaliada baseada em dados coletados por meio do uso de vários sensores e técnicas de monitoramento de condição.

Plano De Manutencao IClass FS 12 1024x327 Manutenção Corretiva

O objetivo é economizar e reduzir custos para que a sua empresa mantenha o foco no crescimento, e não desperdice recursos em erros que podem ser previstos.

Como qualquer outra estratégia de manutenção pró-ativa, a manutenção preditiva visa:

• Minimizar o número de quebras inesperadas.
• Maximizar o tempo de atividade do ativo, o que melhora a confiabilidade do ativo.
• Reduzir custos operacionais otimizando o tempo que você gasta no trabalho de manutenção. Em outras palavras: fazer a manutenção apenas quando necessário, eliminando praticamente qualquer chance de você perder tempo fazendo manutenção excessiva.
• Melhorar seus resultados, reduzindo os custos de manutenção de longo prazo e maximizando as horas de produção.

Estabelecendo um plano de manutenção preditiva em cinco etapas

Etapa # 1 – Identificar ativos críticos
Comece identificando os equipamentos e sistemas fundamentais que serem incluídos no programa de manutenção. Ativos com altos custos de reparo/substituição, ou que são críticos para a produção, costumam ser os melhores candidatos para um programa de Programa de Manutenção Preditiva.

Etapa #2 – Criar e implantar um banco de dados
Para que o programa de manutenção preditiva seja bem-sucedido, outro fator a considerar é a presença de informações suficientes que podem oferecer insights sobre o comportamento da máquina.
Os dados históricos de cada equipamento podem estar disponíveis a partir de várias fontes: planilhas impressas, dados de softwares administrativos ou contábeis em outros departamentos, registros de manutenção e gráficos etc.

Etapa #3 – Analisar e estabelecer modos de falha
Sua empresa precisará realizar uma análise nos ativos críticos identificados anteriormente para estabelecer seus modos de falha. Na gestão de ativos temos várias metodologias baseadas em normas e procedimentos. O métodos podem ser baseados em diversos critérios: MTBF (Mean Time Between Failure), MTTR (Mean Time to Repair), Árvore de Falhas, Árvore de Eventos, Diagrama de Blocos de Confiabilidade etc.

Etapa #4 – Faça previsões de falha
Com os ativos e modos de falha mais críticos identificados, a próxima etapa é projetar a abordagem de modelagem certa que formará a base para as previsões de falha.
O resultado final desta fase é entregar um sistema automatizado que vai monitorar as condições operacionais por meio de sensores instalados; entender e prever padrões criados por anomalias de dados; e criar alertas quando acontecerem desvios dos limites estabelecidos.

Etapa #5 – Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
É aqui que a modelagem preditiva é testada e validada pela implantação da tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.
Caso o processo esteja sendo executado corretamente, haverá melhorias significativas nas operações da empresa, embora os impactos perceptíveis possam levar alguns meses para serem percebidos. Vai depender do tamanho e da complexidade da sua organização.

Identificar ativos críticos

Ativos com altos custos de reparo/substituição e fundamentais para a produção são melhores candidatos.

Criar e implantar um banco de dados

Os dados históricos de cada ativo podem estar disponíveis a partir de várias fontes.

Analisar e estabelecer modos de falha

Escolha a melhor metodologia para cada equipamento baseado na metodologia da sua gestão de ativo.

Faça previsões de falha

Entregue um sistema automatizado com modelo de monitoramento de falhas.

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto

Implantar o plano de manutenção no equipamento piloto
Valide implantando a tecnologia em um grupo selecionado de equipamentos.

plano de manutencao 6 01 01 1024x728 Manutenção Corretiva
O que é um plano de manutenção preventiva

Uma pergunta comum é como diferenciar a manutenção preventiva da preditiva. 

A manutenção preventiva tem como conceito básico prevenir problemas com ações programadas para as equipes de manutenção com os objetivos de evitar paradas e aumentar a vida útil dos equipamentos

Como as ações são programadas?

Através de procedimentos indicados pelos fabricantes dos equipamentos e baseados nos históricos internos quando a empresa já opera com ativos dessa categoria há algum tempo.

Essa é uma manutenção programada, ou seja, ela é realizada seguindo um cronograma e acontece independentemente de danos reais causados por quebras ou paradas.

Alguns exemplos de manutenção preventiva são: lubrificações periódicas; revisões sistemáticas do equipamento; alterações ou troca de peças; planos de calibração e de aferição de instrumentos.

Perguntas comuns durante a elaboração de um plano de manutenção preventiva

Quanto eu vou reduzir de impactos das falhas de acordo com meu plano?

É possível detectar com antecedência, e diminuir falhas funcionais com as ações preventivas que eu defini em meu plano?

Minhas operações terão menos falhas potenciais e funcionais com um plano de manutenção preventiva?

A manutenção preventiva pode ser dividida em duas categorias

Preventiva sistemática
Realizada periodicamente de acordo com dados e histórico

Preventiva condicional
Realizada quando há uma queda na eficiência do equipamento.

Comparação entre os três principais tipos de manutenção

A manutenção preditiva é a melhor estratégia na teoria, mas isso não significa que seja a melhor opção para todas as organizações ou ativos.
Cada estratégia tem suas vantagens e desvantagens, então decidimos comparar as três principais estratégias: manutenção preditiva, manutenção preventiva e manutenção corretiva.

Dividimos em 3 seções principais:

1 – Prós e contras e cada plano de manutenção.
2 – Gráficos de comparação (custo e dificuldade de implementação, Potencial de Retorno de Investimento.)
3 – Como escolher a estratégia certa.

Esperamos que essa comparação forneça uma introdução prática a este tópico e sirva como um bom ponto de partida para decidir quais tipos de manutenção você deseja implementar em sua empresa.

Manutenção reativa
A manutenção reativa descreve uma estratégia de manutenção em que o trabalho de manutenção somente é executado após a ocorrência de uma falha, ou o ativo ficar indisponível.

Prós
  • Muito simples de entender e usar.
    Requer esforço mínimo para implementar e executar.
  • Pode ser usada sem a implementação de sensores ou pacotes de software.
Contras
  • Alta possibilidade de paradas não programadas.
    Muitas vezes envolve muitas horas extras de trabalho.
    Pode resultar em um ambiente de trabalho inseguro.
    Quebras inesperadas reduzem a vida útil do ativo.
  • A falta de rastreamento fornece pouco ou nenhum insight sobre sua operação de manutenção.
Manutenção preventiva

Prós

  • Minimiza a ocorrência de tempo de inatividade não programada e maximiza o tempo de atividade do ativo.
  • Oferece uma visão geral em tempo real da condição atual de seus ativos.
  • Garante interrupções mínimas de produtividade, pois algumas atividades de manutenção preditiva podem ser realizadas no ativo em execução.
  • Otimiza o tempo que você gasta no trabalho de manutenção.
  • Otimiza o uso de peças sobressalentes.
  • Melhora a confiabilidade do ativo.

Contras

  • Requer equipamento de monitoramento de condição e software para implementar e executar.
  • Você precisa de um conjunto especializado de habilidades para compreender e analisar os dados de monitoramento de condição.
  • Custos iniciais elevados.
  • Pode demorar um pouco para ser configurada e implementada dependendo do tamanho da sua empresa.
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Custo e dificuldade de implementação

A manutenção reativa é barata, mas implica em riscos de tempos de inatividade dispendiosos.
A implementação da manutenção preditiva costuma ser cara porque envolve a compra de equipamentos de sensores e software analítico.

Plano De Manutencao IClass FS 13 1024x542 Manutenção Corretiva

Potencial de retorno sobre o investimento (ROI)

A manutenção reativa pode custar caro no longo prazo.
Vários estudos estimam que a manutenção preventiva é 10% a 30% mais econômica que a manutenção reativa
A mesma pesquisa mostra que a manutenção preditiva é pelo menos 10% mais econômica do que a manutenção preventiva.

Plano De Manutencao IClass FS 14 1024x507 Manutenção Corretiva
Gráficos comparativos entre os tipos de manutenção

Manutenção Detectiva

É um tipo de manutenção que utiliza aparelhos especializados, o princípio da manutenção detectiva está baseado em identificar ocorrências que não foram encontradas durante a operação.

É uma metodologia incorporada em sistemas de controle, comando e proteção. Os procedimentos estão vinculados a um calendário com períodos estipulados para corrigir falhas ocultas.


Manutenção Produtiva Total (TPM)

Esse tipo de manutenção é conhecido como TPM por conta do seu nome em inglês, Total Productive Maintenance.

O sistema foi desenvolvido no Japão com o objetivo de eliminar perdas, reduzir paradas, diminuir custos em empresas com processos contínuos e garantir a qualidade.

O TPM enfatiza a manutenção proativa e preventiva para maximizar a eficiência operacional do equipamento. É difícil distinguir entre as funções das equipes de produção e manutenção, há um forte estímulo da gerência da empresa para capacitação dos operadores em ajudar a manter seus equipamentos.

A eficiência em manutenção não é papel apenas de um time em específico. A cultura das empresas que praticam a Manutenção Produtiva Total é que todos devem contribuir para que os ativos e equipamentos estejam funcionando sempre da melhor maneira.

Manutenção prescritiva é a evolução da manutenção preditiva

Em essência, a manutenção prescritiva não só informa quando algo precisa ser consertado, mas também sugere alguns cenários de como você pode lidar com o problema previsto.

Plano de manutencao IClass FS 08 Manutenção Corretiva

PREDITIVA

Preveja exatamente quando o ativo vai
quebrar, faça a manutenção de acordo.

Plano de manutencao IClass FS 09 1 Manutenção Corretiva

PRESCRITIVA

Deixe que as máquinas contribuam na
decisão de como evitar falhas de previsão.

A aplicabilidade da manutenção prescritiva está ligada aos avanços da Inteligência Artificial e do aprendizado de máquina. Também está alinhada com os princípios da Indústria 4.0, termo que surgiu em 2012 em um documento com sugestões para o governo alemão elaborado por um grupo de trabalho liderado por Siegfried Dais e Henning Kagermann.
Segundo os autores, seis princípios caracterizam o projeto de manutenção prescritiva. São os seguintes:

1- Tempo real
2- Virtualização
3- Descentralização
4- Orientação a serviços
5- Modularidade
6- Interoperabilidade

A tendência é que provavelmente não vamos esperar muito até que a manutenção prescritiva venha a se tornar the next big thing no setor de manutenção.

 

Como o IClass FS pode auxiliar você na sua estratégia de manutenção

plano de manutencao 5 01 01 min 6 1024x850 Manutenção Corretiva

Tudo o que seu plano de manutenção precisa

Veja os benefícios que a sua empresa pode obter quando integra o IClass FS.

plano de manutencao 3 15 1024x539 Manutenção Corretiva

Redução de custos com manutenções

Menos custos operacionais em função da execução dos serviços preventivos de forma adequada. Manutenções registradas com custos previstos e realizados, dedique mais tempo aos indicadores setoriais de custos.

plano de manutencao 5 01 Manutenção Corretiva

Processos padronizados

Gestão simples através de um computador ou smartphone. Planilhas não entregam o que sua empresa demanda no século XXI. É como usar um ábaco para controlar investimentos em bolsa de valores.

plano de manutencao 01 Manutenção Corretiva

Abra chamados nas solicitações de serviço de manutenção preditiva

No IClass FS  tudo está integrado. Um colaborador abre um chamado para a equipe de manutenção e pode acompanhar com transparência e qualidade o processo de manutenção. No término do processo podem ser feitas avaliações.

plano de manutencao 11 Manutenção Corretiva

Manutenções preventivas com tarefas recorrentes

Entre com as manutenções preventivas recorrentes do seu plano de manutenção. Depois elas poderão ser distribuídas e programadas pelos gestores. Coloque seu plano em ação rapidamente.

plano de manutencao 2 01 Manutenção Corretiva

Acompanhamento dos principais indicadores de manutenção

O que você quer acompanhar? Disponibilidade, Confiabilidade, MTBF (Tempo Médio Entre Falhas), MTTR (Tempo Médio Para Reparo), Backlog de ordens de serviço, RAV (Valor de Reposição do Ativo), Custo Total de Equipamentos e Custo Total de Manutenção. Agende uma demonstração e saiba mais.

Acelere o crescimento da sua empresa e ganhe competitividade no seu mercado.

Plano de manutencao IClass FS 07 Manutenção Corretiva

REATIVA

Conserte quando quebrar!

Plano de manutencao IClass FS 06 Manutenção Corretiva

PREVENTIVA

Manutenção programada em intervalos
regulares para que o ativo não quebre.

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Quais são os agentes envolvidos no PMOC

Os agentes envolvidos são o Ministério da Saúde, o Ministério do Meio Ambiente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) e a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA).

Legislação do PMOC

A legislação está fundamentada na Constituição, artigo 225, que diz “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”

Confira abaixo as leis complementares, portarias, normas e outras informações segmentadas por agente.

Lei 6.437 (20 de agosto de 1977) estabelece multas relativas às infrações na legislação sanitária federal.

Lei 6.938 de 31 de agosto de 1981 define os conceitos de meio ambiente e poluição. 

Lei 9.605, 12 de fevereiro de 1998, Lei dos crimes ambientais

Decreto 6.514, 22 de julho de 2008, define as infrações e e sanções administrativas aos meios ambientes. 

PORTARIA Nº 3.523, DE 28 DE AGOSTO DE 1998

Art. 1º Aprovar Regulamento Técnico contendo medidas básicas referentes aos procedimentos de verificação visual do estado de limpeza, remoção de sujidades por métodos físicos e manutenção do estado de integridade e eficiência de todos os componentes dos sistemas de climatização, para garantir a Qualidade do Ar de Interiores e prevenção de riscos à saúde dos ocupantes de ambientes climatizados.

Art. 2º Determinar que serão objeto de Regulamento Técnico a ser elaborado por este Ministério, medidas específicas referentes a padrões de qualidade do ar em ambientes climatizados, no que diz respeito a definição de parâmetros físicos e composição química do ar de interiores, a identificação dos poluentes de natureza física, química e biológica, suas tolerâncias e métodos de controle, bem como pré-requisitos de projetos de instalação e de execução de sistemas de climatização.

Art. 3º As medidas aprovadas por este Regulamento Técnico aplicam-se aos ambientes climatizados de uso coletivo já existentes e aqueles a serem executados e, de forma complementar, aos regidos por normas e regulamentos específicos. Parágrafo Único – Para os ambientes climatizados com exigências de filtros absolutos ou instalações especiais, tais como aquelas que atendem a processos produtivos, instalações hospitalares e outros, aplicam-se as normas e regulamentos específicos, sem prejuízo do disposto neste Regulamento.

Art. 4º Adotar para fins deste Regulamento Técnico as seguintes definições: a) ambientes climatizados: ambientes submetidos ao processo de climatização. b) ar de renovação: ar externo que é introduzido no ambiente climatizado. c) ar de retorno: ar que recircula no ambiente climatizado. d) boa qualidade do ar interno: conjunto de propriedades físicas, químicas e biológicas do ar que não apresentem agravos à saúde humana. e) climatização: conjunto de processos empregados para se obter por meio de equipamentos em recintos fechados, condições específicas de conforto e boa qualidade do ar, adequadas ao bem-estar dos ocupantes. f) filtro absoluto: filtro de classe A1 até A3, conforme especificações do Anexo II. g) limpeza: procedimento de manutenção preventiva que consiste na remoção de sujidade dos componentes do sistema de climatização, para evitar a sua dispersão no ambiente interno. h) manutenção: atividades técnicas e administrativas destinadas a preservar as características de desempenho técnico dos componentes ou sistemas de climatização, garantindo as condições previstas neste Regulamento Técnico. i) Síndrome dos Edifícios Doentes: consiste no surgimento de sintomas que são comuns à população em geral, mas que, numa situação temporal, pode ser relacionado a um edifício em particular. Um incremento substancial na prevalência dos níveis dos sintomas, antes relacionados, proporciona a relação entre o edifício e seus ocupantes.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012

Art. 11 – Não é permitida a liberação de SDOs ou substâncias alternativas na atmosfera durante as atividades que envolvam sua comercialização, envase, recolhimento, regeneração, reciclagem ou uso, assim como durante a instalação, manutenção, reparo e funcionamento de equipamentos ou sistemas que utilizem essas substâncias.

Art. 12 – Durante os processos de retirada de SDOs ou substâncias alternativas de equipamentos ou sistemas, é obrigatório que esses gases sejam recolhidos apropriadamente e destinados a centrais de recolhimento e regeneração.

Art. 13 – O descumprimento das normas estabelecidas nesta Instrução Normativa sujeitará o agente a penalidades administrativas, sem prejuízo das demais sanções civis e penais previstas na legislação vigente.

A RE 9 apresenta os poluentes de maior ocorrência nos ambientes internos de efeitos conhecidos na saúde humana, e de mais fácil detecção pela estrutura laboratorial existente no país, citando agentes biológicos e químicos como principais fontes e medidas de correção.

 

RESOLUÇÃO-RE Nº 9, DE 16 DE JANEIRO DE 2003

O Diretor da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere a Portaria nº 570, do Diretor Presidente, de 3 de outubro de 2002; considerando o § 3º, do art. 111 do Regimento Interno aprovado pela Portaria n.º 593, de 25 de agosto de 2000, republicada no DOU de 22 de dezembro de 2000, considerando a necessidade de revisar e atualizar a RE/ANVISA nº 176, de 24 de outubro de 2000, sobre Padrões Referenciais de Qualidade do Ar Interior em Ambientes Climatizados Artificialmente de Uso Público e Coletivo, frente ao conhecimento e a experiência adquiridos no país nos dois primeiros anos de sua vigência; considerando o interesse sanitário na divulgação do assunto; considerando a preocupação com a saúde, a segurança, o
bem-estar e o conforto dos ocupantes dos ambientes climatizados; considerando o atual estágio de conhecimento da comunidade científica internacional, na área de qualidade do ar ambiental interior, que estabelece padrões referenciais e/ou orientações para esse
controle; considerando o disposto no art. 2º da Portaria GM/MS n.º 3.523, de 28 de agosto de 1998;
considerando que a matéria foi submetida à apreciação da Diretoria Colegiada que a aprovou em reunião realizada em 15 de janeiro de 2003, resolve:
Art. 1º Determinar a publicação de Orientação Técnica elaborada por Grupo Técnico Assessor, sobre Padrões Referenciais de Qualidade do Ar Interior, em ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo, em anexo.
Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

O Conselho, através da Resolução 003 de 28 de junho de 1990, define os padrões de qualidade do ar e as concentrações de poluentes atmosféricos. 

Art. 1o São padrões de qualidade do ar as concentrações de poluentes atmosféricos
que, ultrapassadas, poderão afetar a saúde, a segurança e o bem-estar da população, bem
como ocasionar danos à fl ora e à fauna, aos materiais e ao meio ambiente em geral.
Parágrafo único. Entende-se como poluente atmosférico qualquer forma de matéria
ou energia com intensidade e em quantidade, concentração, tempo ou características em
desacordo com os níveis estabelecidos, e que tornem ou possam tornar o ar:
I – impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde;
II – inconveniente ao bem-estar público;
III – danoso aos materiais, à fauna e fl ora.
IV – prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais
da comunidade

É o agente responsável por definir normas técnicas que definirão os pareceres. São várias normas que tratam dos projetos de sistemas, conforto, qualidade do ar, tratamento do ar, requisitos para projetos, sistemas para cozinhas profissionais, procedimentos de inspeção e avaliação de limpeza.

NBR 13.971/97

Estabelece parâmetros  para projetos de sistemas de ar condicionado, conforto térmico e qualidade do ar nos ambientes. Sistemas de refrigeração, condicionamento de ar e ventilação. Manutenção programada.

NBR 10.719
NBR 16.401

Estabelece parâmetros de sistemas de ar condicionado, parâmetros de conforto térmico e qualidade do ar interior.

NBR 16.644

Substituiu a NBR 13.700 na classificação das áreas de contaminação controlada.

NBR 14.719

Define procedimentos de limpeza.

NBR 7.256

Lançada em abril de 2005 essa norma aborda o tratamento de ar em estabelecimentos de saúde (EAS) e requisitos para projeto e execução das instalações.

NBR 15.848

Define procedimentos de inspeção visual e análise gravimétrica para avaliação da limpeza de dutos.

NBR 14.679

Define o procedimento de limpeza de dutos.

 

 

 

Responsabilidade Técnica

O CREA 

CONFEA

As atribuições dos engenheiros são estabelecidas na Lei Federal 5.194/66, artigo 7º. CONFEA

 

 Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA) foi fundada em 1962 e ao longo de sua história registra inúmeras conquistas em benefício das empresas associadas e do setor como um todo, tornando-se referência para fabricantes de equipamentos, projetistas, instaladores e mantenedores de sistemas, além de comerciantes varejistas de peças e componentes de todo o país.

A entidade está sediada em São Paulo, a partir de onde coordena as ações que desenvolve em âmbito nacional. Gradativamente, vem também promovendo a instalação de escritórios regionais pelo Brasil a fora. Quatro deles já estão em funcionamento: Fortaleza, Minas Gerais, Salvador  e Pernambuco.

Para ampliar a eficácia de suas ações e permitir a adequada inter-relação institucional com suas congêneres, a ABRAVA também desenvolve parcerias com várias entidades nacionais e internacionais.

Como representante do setor no Brasil, a entidade desenvolve e participa de uma série de iniciativas relacionadas a questões de grande interesse das companhias e dos profissionais que atuam na área, como inovação tecnológica e empresarial, capacitação profissional, normalização, promoção de exportações, eficiência energética, preservação ambiental e valorização da saúde e da qualidade de vida, entre muitas outras.

Com mais de cinco décadas de atuação pautada pela ética e pela valorização do setor, a ABRAVA amplia continuamente a sua importância e se credencia como o principal espaço para o encontro e a articulação das empresas do setor.

Saiba mais no site da entidade.

As 6 principais ações para o sucesso da sua equipe de campo

A principais ações para gerenciar sua equipe

Se atualmente você tem a tarefa de liderar uma equipe ou de gerenciar equipes externas, esse texto irá ajudar com os principais temas que os líderes e gerentes de equipes de campo necessitam para ter uma gestão de equipe externa mais produtiva e motivada.

Otimize a gestão na distribuição de tarefas

A principal prioridade para os gerentes de equipe de campo é a distribuição de tarefas. Não importa o quão habilidoso você seja, com uma equipe engajada e com os papéis bem definidos, você pode conseguir muito mais: é por isso que é tão importante que você delegue de maneira eficaz!

A distribuição de tarefas bem-sucedida começa com a comunicação entre pessoas e tarefas, por isso como primeiro passo você precisa explicar qual é o papel e as metas da sua equipe. Uma boa maneira de fazer isso é montar um planejamento de metas que define o objetivo da equipe e como ela funcionará. Isso ajuda você com a sua nova equipe e é útil para trazer a sua equipe já existente de volta no caminho se tiver não estiver performando,

Só a partir disso você pode pensar nas habilidades, experiências e competências de sua equipe e começar a associar as pessoas às tarefas. .Leia nosso artigo sobre alocação de tarefas  para saber mais sobre como fazer isso e descobrir como lidar com os desafios e como gerenciar as lacunas entre os conjuntos de habilidades dos membros da equipe.

Motive sempre sua equipe

O gestor precisa criar um ambiente favorável à integração e ao trabalho coletivo, fazendo com que a equipe sinta-se disposto e estimulado em buscar um determinado objetivo pessoal e principalmente coletivo. 

Nessa perspectiva, o líder tem um papel importantíssimo e delicado diante da equipe, pois, possui a responsabilidade de criar meios para que as pessoas sintam-se engajadas ao grupo e ajam de maneira proativa para realização de tarefas e metas. Como o trabalho de motivação é bastante difícil, o líder não deve esquecer-se de elogiar as pessoas. Segundo sheila bethel, duas dicas são importantes: “Elogie em público – Corrija em particular” e “Encontre maneiras de elogiar todo seu pessoal não privilegiando apenas um integrante da equipe”. 

Assim toda a sua equipe estará tendo retorno das ações feitas e sendo assim terão elementos para correção de falhas durante a execução de ações

Utilize a tecnologia de um software para gerenciar sua equipe de campo.

Uma das tarefas mais complexas na gestão de uma equipe de campo é supervisionar todas as ações do seus funcionários.

Use a tecnologia para fazer o gerenciamento de todas atividades externas executadas em campo. Com o IClass FS, é possível gerenciar de forma eficiente, toda a equipe operacional, organizando todos os tipos de atividades externas, como ordem de serviço, chamados, entregas e manutenções. 

Seus técnicos ou colaboradores vão ter todas as informações na palma da mão, mais do que apenas o calendário com os serviços agendados nas mãos da sua equipe. 

O aplicativo de ordem de serviço elimina a necessidade da sua equipe externa de atender uma ordem de serviço com o uso de um papel ou planilha, e oferece uma plataforma completa para que sua equipe externa. 

Tenha todas as informações necessárias para a execução da atividade no aplicativo de ordem de serviço,  tornando a troca de informações mais ágil e eficiente. A ordem de serviço é retornada para a retaguarda através do aplicativo de ordem de serviço IClass FS , com todas as informações coletadas no cliente, como captura de imagens, checklist, consumo de materiais, alocação de equipamentos, ativos e até a assinatura digitalizada do cliente.

Não deixe de conhecer a IClass FS de perto, a apresentação é rápida, feita por vídeo, e pode ser ampliada de acordo com suas necessidades. Entre em contato conosco e deixe nossa equipe mostrar todos os benefícios da nossas soluções, através de uma apresentação online do IClass FS. Escreva no campo mensagem os horários mais convenientes.

Treine sua equipe

Um dos desafios para ter uma equipe qualificada e atualizadas para os desafios diários é o treinamento da sua equipe.

Cada vez mais as empresas estão enfrentando um mercado competitivo e clientes mais exigentes, portanto é necessário encontrar práticas e manter um ambiente contínuo de aprendizado e desenvolvimento de habilidades fazendo que sua equipe esteja mais preparada e capacitada.

Invista em treinamentos EAD: Existe diversas plataformas de aprendizado que vão facilitar o aprendizado da equipe além de muitas delas possuírem certificações ajudando a você a ter uma equipe cada vez mais qualificada e ainda oferece ao funcionário a oportunidade de se manter atualizado em relação ao mercado de trabalho melhorando a sua qualificação profissional.

Crie grupos de estudos  e palestras internas: 

Criar uma rotina de palestras internas é uma maneira eficiente é gratuita melhorar e nivelar o conhecimento da equipe, selecione pelo menos 1 assunto ou trema que cada funcionário seja expert apara quele possa preparar um conteúdo rico e apresentar criando um ambiente leve continuo onde uns aos outros, trocam e compartilham seus conhecimentos.

Uma maneira também de desenvolver seu pessoal é garantir que você dê feedback regularmente para membros da sua equipe. Esse é um erro frequente de gestores e lideres, no entanto, existe pesquisas realizadas em que se você enviar e receber feedback regularmente, o desempenho de todos melhoram.

Não se contente em só dar o feedback mostre a trilha de conhecimento e aprendizado para esse profissional se guiar e entender por onde começar.

Melhore a comunicação com sua equipe

A Comunicação é essencial para o sucesso de qualquer função, entretanto você como gestor precisa ter isso como base para ter uma equipe de campo organizada e estruturada.

No ambiente de trabalho os profissionais não devem ter medo de expor suas ideias e o gestor precisa criar um ambiente que todos se sintam confortáveis, algumas vantagens de uma boa comunicação o aumento da eficiência das tarefas, pois evitará trabalhos retrabalho por ruído de informação, maior
alinhamento entre os colaboradores gerando menos atritos e ganho na produtividade da sua equipe podendo fazer mais atendimentos.

Para melhorar sua comunicação com a sua equipe conheça algumas ações:
Implante quadro de informações para reforçar comunicados, metas, projetos e datas importantes além de facilitar a visualização de diversas informações em um só lugar.
Faça reuniões mais objetivas e periódicas para conversar com os membros da sua equipe, discutindo principais comunicações, orientações além disso, é importante que sejam estipuladas as datas e eventos importantes do projeto para que, conforme a proximidade destas, o time possa se organizar para que a comunicação se dê de maneira mais eficiente e prática.
Use software de comunicação de equipes onde você irá colocar detalhes de projetos e orientações que facilitaram a circulações de informações além de ter um histórico do que já foi discutido e feito pela sua equipe.

Como surgiu a lei 13.589 que deu origem ao PMOC

Blog

Como surgiu a lei 13.589 que deu origem ao PMOC

O uso global dos sistemas de climatização está tendo um impacto significativo no cotidiano, bem-estar e saúde humana. Com o aumento das doenças associadas a ambientes climatizados artificialmente usados coletivamente, a preocupação com a qualidade do ar interno está em ascensão nas últimas décadas.

Respiramos cerca de 10 mil litros de ar diariamente e passamos 85% do nosso tempo em ambientes fechados, muitas vezes com climatização, como hospitais, escritórios, bancos, carros e residências, entre outros.

pmoc tempo em ambientes fechados Como surgiu a lei 13.589 que deu origem ao PMOC

Casos de infecção bacteriana causados pela Legionella pneumophila 

Uma ilustração disso é a disseminação de infecções bacterianas como a causada pela Legionella pneumophila. O marco inicial ocorreu em 1976, quando um surto resultou em 182 casos de pneumonia e 29 mortes no “Bellevue Stradford Hotel” na Filadélfia, EUA. No Brasil, em 1998, o ministro das Comunicações, Sergio Motta, faleceu devido à mesma bactéria, que foi inalada através das gotículas de água presentes nos dutos de ar condicionado do seu gabinete em Brasília.

Esse incidente levou o Ministério da Saúde a agir por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que, com base no artigo 6 da Lei no 8.080 do Sistema Único de Saúde (SUS), emitiu a Portaria no 3523 em 28 de Agosto de 1998. Essa portaria estabeleceu a obrigatoriedade do Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) para todos os aparelhos de climatização, abordando questões de qualidade do ar e infração sanitária. Subsequentemente, a Resolução no 176 de 24 de outubro de 2000 foi publicada, seguida por uma revisão, a Resolução n°9 de 16 de janeiro de 2003. Esses documentos ofereceram orientações técnicas sobre “Padrões referenciais da qualidade do ar de interiores em ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo”, definindo parâmetros para CO2, material particulado, temperatura, umidade relativa e velocidade do ar em ambientes climatizados.

doencas predio Como surgiu a lei 13.589 que deu origem ao PMOC

Enquanto pesquisas e legislações no Brasil tradicionalmente focavam na qualidade do ar externo, estudos sobre a Qualidade do Ar Interior (QAI) ganharam destaque ao revelar que trocas de ar insuficientes entre ambientes interno e externo resultam em concentrações elevadas de poluentes químicos e biológicos. Essa descoberta deu origem a termos como “Síndrome do Edifício Doente” (SED) e “Doença de Ambiente Interno” (DAI).

Edifícios associados à SED não causam doenças, mas podem agravar males preexistentes ou gerar desconfortos temporários, melhorando quando as pessoas afetadas saem do ambiente. Por outro lado, edifícios associados à DAI podem induzir doenças diretamente ligadas às condições do edifício, como asma, infecções bacterianas, virais ou fúngicas. Como resposta, foi promulgada a Lei no 13.589 em 4 de janeiro de 2018.

Essa lei se baseou na portaria e na resolução mencionadas acima, além das normas da ABNT. Ela estabelece que todos os edifícios de uso público e coletivo com sistemas de climatização artificial devem implementar um Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) para seus sistemas de climatização, visando reduzir ou eliminar riscos à saúde dos ocupantes.

Fontes: ABRAVA, Lígia Garcia

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One e seus recursos para PMOC da sua empresa?

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados

Palestra da IClass no SINDRATAR SP

Blog

Palestra da IClass no SINDRATAR SP

A IClass participou do Workshop chamado de  PMOC 360 Graus no dia 11 de dezembro de 2017, no auditório da FIESP. O evento que teve como principal tema  a visão completa do Plano de Manutenção, Operação e Controle. Os especialistas do evento debateram também, os impactos da mudança na Lei Federal 13.589, tornando obrigatória a execução do PMOC em edifícios de uso público e coletivo, inclusive produtivos, laboratoriais e hospitalares, estes últimos obedecendo a regulamentos específicos, visando à eliminação ou minimização de riscos potenciais à saúde dos ocupantes.

Especialistas abordaram temas relevantes:

O primeiro palestrante foi o prof. Eng. Leonardo Cozac  que Especialista em Qualidade do Ar Interno ele palestrou o sobre o  tema “Qualidade do ar de interiores”, uma das citações sobre foi que: “No Brasil a gente ainda não tem informação, não tem recursos de formação para  especialistas de qualidade do ar interno, isso acabou caindo muito nas mãos do engenheiro de ar condicionado e de manutenção de ar condicionado.”

Sobre a legislação foi feita pelo Arnaldo Parra que comentou sobre as principais Portarias, normas e resoluções que abordam o assunto e citou que:  “A propagação e a difusão da informação é uma prioridade tanto do SINDRATAR quanto da ABRAVA e esse evento vem justamente de encontro a essa filosofia de conscientização, não somente da comunidade técnica de ar condicionado, refrigeração e de limpeza, mas também serve de recomendação para o cliente que muitas vezes desconhece esse assunto da qualidade do ar, principalmente das influências da legislação brasileira com relação aos aspectos de qualidade e conforto.”

Palestra da IClass no SINDRATAR SP • IClass 1024x683 Palestra da IClass no SINDRATAR SP

O tema “Aplicativo e gestão do PMOC”, foi abordado pelo CEO Marcos Barros, da empresa IClass. Ele apresentou o aplicativo que permite que as manutenções corretivas e instalações sejam controladas diretamente pela ferramenta. O software faz a impressão digitalizada do relatório PMOC, agilizando o retorno das informações de campo, organizando a área de serviços, aumentando a satisfação dos clientes e a produtividade da área. e ele se referiu que: “Com isso as empresas atingem maior produtividade e lucratividade nos contratos”.

Veja as principais Funcionalidades do IClass FS:

Rastreamento das equipes e visão em mapas: tenha visão de equipes e serviços em painéis e mapas, com possibilidade de configuração de cercas eletrônicas.

Gestão de estoque em campo: controle o estoque da sua empresa, desde a entrada de materiais até o consumo realizado nos serviços de campo.

Rentabilidade de contratos: entenda quais são os seus contratos mais lucrativos e aqueles que trazem prejuízo para sua empresa.

Aplicativo Android: Encerre serviços, incluindo fotos, assinatura digitalizada do cliente, formulários de verificação, consumo de materiais e alocação de equipamentos e ativos.

Melhora na comunicação com seus clientes: realize a comunicação com seus clientes através de e-mails, mensagens e disponibilização de um portal do cliente em seu site.

Acesso dos serviços: tenha mais agilidade para buscar os registros das manutenções realizadas nos equipamentos.

Realização do inventário dos contratos em campo: torne simples o registro de equipamentos novos e atualização das máquinas contratadas em campo.

IClass code: simplifique a identificação dos equipamentos através das facilidades do IClass code.

Saiba tudo que o IClass FS pode fazer pela sua empresa, baixe agora mesmo o nosso folder e revolucione sua operação de campo: http://bit.ly/Folder-PMOC 

Gostaria de saber mais sobre o software IClass One?  

Preencha os campos abaixo que retornaremos em breve.

©2024 IClass Sistemas - Todos os direitos reservados